A metodologia de intervenção que utilizamos é inspirada no modelo norte-americano, FAMILIES FIRST - Homebuilders, implementado pelo departamento dos Serviços Sociais de Michigan, desde 1974.

Este modelo caracteriza-se por ser um programa específico de preservação da família em segurança, garantindo o direito que todas as crianças têm de viver com a sua família.

Esta metodologia passa pela intervenção junto das famílias mais fragilizadas e dentro das suas próprias casas, às quais prestamos um apoio intensivo, imediato e individualizado.

Trabalhamos numa disponibilidade total para a família e de forma intensiva durante 6 semanas, havendo depois um acompanhamento periódico da mesma ao longo de todo o ano subsequente.

A metodologia desenvolve-se por fases:

    • Em reunião interna de supervisão, a equipa de trabalho analisa as sinalizações e atribuem-se aos Técnicos do Projecto Família as famílias que obedeçam aos critérios de elegibilidade exigidos. De seguida, os Técnicos contactam de imediato as entidades sinalizadoras, agendando uma reunião com a família;
    • O Técnico do Projecto Família intervém motivando a família no sentido de ser ela própria a realizar o levantamento das suas necessidades. Identificam-se as potencialidades e fragilidades, os factores protectores e os factores geradores de stress, verificam se as tarefas de desenvolvimento estão a ser ou não cumpridas, reflectem sobre as causas do incumprimento e treinam-se as aptidões em falta ou em défice.
    • Traçam-se então os objectivos a atingir que irão permitir a permanência das crianças e jovens em segurança na casa. Estes objectivos são realizados por etapas delineadas semanalmente, em reunião interna de supervisão. O envolvimento do técnico vai desde a motivação para a mudança e o treino de competências até à ajuda prática e material. Não se “manda fazer”, faz-se com a família; a família não vai sozinha aos serviços - sempre que seja necessário o Técnico acompanha-a.
    • O Projecto Família utiliza os instrumentos específicos de avaliação dos serviços de intervenção intensiva junto das famílias dos EUA:
      • North Caroline Family Assessment Scale - Escala de avaliação sócio-familiar aplicada ao modelo “Homebuilders”, na qual se avalia a performance da família, sob diversos parâmetros (Ambiente; Capacidades Parentais; Interacções Familiares; Segurança Familiar; Bem estar do menor; Ambivalência dos Progenitores/ Encarregado de Educação e do Menor e Preparação para a Reunificação);
      • Modelo de Competência;
      • KISIT - Client Information System Intensive Home Treatment - instrumento de análise de competências;
      • Your Deal - instrumento que auxilia no planeamento da intervenção.
    • No final das 6 semanas em que a família teve possibilidade de adquirir, ou não, os instrumentos que lhe permitem consolidar as alterações de comportamento realizadas durante a intervenção, a família faz a sua avaliação sobre o trabalho realizado e, por fim, o Técnico do Projecto Família elabora o relatório da intervenção para a entidade sinalizadora;
    • Terminada a intervenção intensiva de 6 semanas, segue-se o trabalho de acompanhamento repartido em 4 sessões de follow-up junto da família: 1 mês, 3 meses, 6 meses e 1 ano. Em conjunto, revêem-se os objectivos, acrescentam-se outros, listam-se as dificuldades e as novas necessidades.

Apoio Prestado

"... são coisas muito concretas que provocam crises nas famílias: a falta de habitação, um frigorífico que não funciona, a ausência de meios de transporte ou a falta de dinheiro para pagar as contas."

No Projecto Família trabalhamos com as famílias o que estas se sentirem capazes e estejam dispostas fazer, após tomarem consciência da necessidade de alterar comportamentos. Entre muitos outros aspectos o apoio é prestado no sentido de:

  • Treino efectivo de competências pessoais, interpessoais, parentais e domésticas;
  • Inserção na rede comunitária (formal e informal): família alargada, amigos, vizinhos, Juntas de Freguesia, Segurança Social, Centros Sociais, Equipamento social e escolar, acesso a apoio, bens e serviços.
  • Auxílio na marcação e acompanhamento dos utentes a consultas de clínica geral e de especialidade (alcoolismo, toxicodependência, HIV, saúde mental) nas questões que envolvem a Justiça, os Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, etc…
  • Orientação e acompanhamento para serviços de apoio específicos respeitantes a violência doméstica e familiar, abuso sexual e outros;
  • Procura activa de emprego e formação profissional;
  • Apoio escolar (ajuda na realização de TPC, realização de actividades dinâmicas pedagógicas);