Qual a realidade das crianças institucionalizadas em Portugal?

Em Portugal, mais de 8.000 crianças são, anualmente, colocadas em em acolhimento, institucional ou familiar, Em cerca de 72% dos casos, a causa da retirada das crianças é a nigligência dos seus pais

Porque surge o Projecto Família?

O Projecto Família surge para dar uma segunda oportunidade às famílias. Acreditamos na família e acreditamos que os pais fazem o melhor - às vezes só precisam de ter alguém a seu lado que acredite neles e que mostre que são capazes de ultrapassar crises e dificuldades, ou os comportamentos que possam levar ao afastamento dos seus filhos.

Quais são os resultados do Projecto Família?

O Projecto Família é uma metodologia de preservação familiar pelo que a taxa de sucesso é medida pela percentagem de crianças que, ao fim de 1 ano, permanecem em segurança junto das suas famílias. Ao longo dos anos de intervenção esta taxa esteve sempre acima dos 70% o que significa que, das mais de 1.600 famílias acompanhadas, cerca de 2.400 puderam permanecer com as suas famílias.
Em 2016 foram acompanhadas 310 crianças de 204 famílias, estando a taxa de sucesso ainda a ser apurada.

Porque é que o Projecto Família é tão eficiente?

Através desta metodologia e dos seus factores diferenciadores, o técnico trabalha com todos os elementos da família para desenvolver as competências pessoais e sociais de cada membro, ajudando a organizar tarefas e rotinas, criando estratégias para momentos de crise ou conflito presentes e futuros. Os técnicos ajudam a estabelecer redes de suporte como sejam a identificação de ajudas estatais ou de outro tipo, como seja a procura de emprego, apoio em termos de especialidade médica, etc. Só assim é possível desenvolver uma intervenção realmente eficaz.

Quem sinaliza?

As crianças/ famílias são sinalizadas ao MDV/ Projecto Família sobretudo por parte das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) e Tribunais de Família e Menores. Estas entidades, pelo seu carácter jurídico, são aquelas que têm um papel decisor no que toca às Medidas de Promoção e Protecção a aplicar a cada criança, podendo ser, entre outras opções, de Apoio Junto dos Pais/ de outro Familiar, Acolhimento Familiar ou Acolhimento Institucional. As famílias podem também ser sinalizadas por qualquer pessoa ou entidade que com ela tenha relação.

Quanto custa o Projecto Família?

O custo do Projecto Família, em si, prevê: intervenção intensiva de 6 semanas e follow-up ao fim de 3, 6 e 12 meses; inclui, além do vencimento do técnico, as suas deslocações a casa da família - uma vez que todo o trabalho é ali desenvolvido, bem como custos administrativos e de suporte da actividade. Embora seja amplo o âmbito das suas despesas, o custo por criança apoiada, por ano, no Projecto Família, é menor que o custo para o Estado, por mês, por criança em instituição - e a principal factura, a de ser retirada à sua família, é evitada.

Quem financia?

O Projecto Família tem como objectivo final a manutenção das crianças com as famílias ou o regresso a casa de crianças previamente institucionalizadas. Nesse sentido, esta metodologia dá resposta às modalidades de Preservação Familiar e de Reunificação Familiar previstas no âmbito dos protocolos assinados com o Instituto da Segurança Social para Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (CAFAP) - mas o financiamento público, não colmatando todas as necessidades, é também limitado a a certo número de famílias. Para colmatar todas as despesas do desenvolvimento deste trabalho e para ir mais longe na capacidade de resposta temos vindo a desenvolver campanhas de angariação de fundos junto de particulares e empresas - e estes resultados têm sido, cada vez mais, fundamentais.​

Saiba mais sobre o Projecto Família